segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

E é isto...

Música de "John Legend" (Tema: Love Me Now)

Uma prenda...

...recebida numa sessão de coaching que tive a oportunidade de concretizar no passado fim de semana, e que partilho com vocês.

Podem não acreditar, mas depois de ver este vídeo decidi concretizar (hoje) algo que andava a adiar há anos. Espero que gostem e que sirva de faísca para algo que vocês queiram realmente fazer, mas que até hoje não fizeram.

"Se o mantivermos na vertical e com um sorriso nos lábios o povo nem nota a diferença"

O que eu já me ri com este cartoon... 

Acho que até acordei os meus filhos de tanto me rir. Eh eh eh.



E se até aqui...

...sempre disse que os dois principais motivos de desgaste dos professores, eram essencialmente os seus colegas de profissão (em primeiro) e a hiperburocracia (em segundo), posso - a partir do presente ano letivo - acrescentar mais um: assistentes operacionais hiper zelosos que trabalham para impressionar o boss.

O problema é que uns não sabem ler, alguns são míopes e outros não querem saber...


Comentário: Acho francamente positivas este tipo de iniciativas, onde o objetivo é lembrar aos Encarregados de Educação qual o seu papel e ao mesmo tempo permitir algum grau de reflexão nas atitudes e comportamentos (eventualmente menos positivas) junto dos seus educandos. No entanto, e por aquilo que conheço, por norma os destinatários (os reais e não a generalidade utilizada para não ferir susceptibilidades) destas iniciativas não querem saber delas...

Finalmente a DGAE tem nova cara virtual...

Embora não tenha a certeza absoluta, julgo não estar muito enganado ao afirmar que o sítio virtual da DGAE tinha o mesmo ar "cinzento" e austero desde os tempos de Maria de Lurdes Rodrigues... Esta nova cara virtual apresenta-se com um design que me agrada imenso, com áreas novas e com outras tantas alvo de atualização (quem conhecia o anterior, sabia que existiam áreas completamente vazias de informação ou com informação ultrapassada).

Ainda não tive tempo para explorar na plenitude, mas fica a chamada de atenção.


Mais um ciclo de "revolução" na educação (continuação)...


Comentário: Durante o fim de semana ficámos a saber (eu não, que estes dois dias são sagrados para mim e para a minha família, e como tal, faço questão de me manter afastado destas "atualizações") que a segunda parte da revolução (a primeira parte foi anunciada aqui) consiste em mais umas mudanças que à primeira vista até nem parecem muito más, mas que com tanta tradição "inovadora" aprendemos a desconfiar.

Ficam alguns parágrafos da notícia, relativos a mais mudanças na educação:

"O Governo vai reintroduzir as áreas de cidadania e de projecto nos currículos escolares."

"Há disciplinas que vão perder carga horária porque a ideia não é aumentar o número de horas que os alunos passam na escola."


"(...) o governante diz que há disciplinas como a Geografia e a História que têm poucas horas, tal como a Educação Física."


Julgo que dentro de pouco tempo, saberemos mais sobre este assunto, nem que seja através de rumores...

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

O reforço da partidarização na educação...


Comentário: Acho que passada quase uma década do início da partidarização da escola pública, ninguém terá dúvidas que só falta mesmo a gestão direta do pessoal docente para termos um "pleno". Por aquilo que tenho visto, nas diversas escolas por onde passei nestes últimos anos, é absolutamente visível a influência negativa da "pegada" partidária local, no funcionamento da escola, nas relações entre os diversos intervenientes e, (obviamente) nas escolhas que se fazem ao nível das "aquisições" ou "eleições".

Embora gostasse que o atual modelo de gestão das escolas fosse diferente (isto é, não suportado por um Conselho Geral "contaminado" por influências partidárias), cada vez mais considero que o retorno a um passado recente é um fenómeno cada vez mais complicado de acontecer. É que por mais que não queira admitir, se os professores (na sua maioria) estiveram adormecidos no que à negociação do diploma dos concursos dizia respeito, a questão da mudança no modelo de gestão escolar é algo para o qual nem sequer estão minimamente motivados. E infelizmente a relação entre ambos é tão grande, que quando acordarem para o tema será tarde demais...