quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Eis a última versão do Projeto de Portaria relativa ao reposicionamento na carreira

Para acederem à última versão ministerial do projeto de portaria que define os termos e a forma como se processa o reposicionamento no escalão da carreira docente dos educadores de infância e dos professores dos ensinos básico e secundário do pessoal docente com tempo de serviço prestado antes do ingresso na referida carreira e a que se refere o n.º 3 do artigo 36.º e o n.º 1 do artigo 133.º do respetivo estatuto de carreira (ECD), o melhor mesmo é clicarem na imagem abaixo (link FNE).


Educação Física regressa à discussão...


Comentário: Por aquilo que se pode ler no artigo em causa, o Bloco de Esquerda pretende o regresso à condição em que as classificações obtidas na disciplina de Educação Física, sejam consideradas para efeitos de média de acesso ao ensino superior, isto é, pretende a reposição de algo que se verificou (se não estou em erro) entre 2004 e 2012.

Ao contrário de alguns, registo este regresso como positivo, mas não me deixo levar em exageros, ao ponto de considerar que esta medida visa devolver à disciplina, um estatuto ou valorização entretanto perdidos. 

Quanto à discussão da influência positiva ou negativa nas médias de acesso, admito nunca ter analisado pautas (nem sequer me recordo de ter lido um estudo, que conclua em qualquer um dos sentidos), e como tal, tenho sérias dificuldades em me posicionar. O que posso dizer é que se este (eventual) regresso permitir que os alunos encarem a disciplina de uma forma mais empenhada, tanto melhor. E apoio este regresso, tal como apoiaria outra medida que tivesse como objetivo ou efeito colateral (e dou de barato, podermos estar a falar em meras possibilidades) o acréscimo de empenho em qualquer disciplina do nosso currículo.

Apenas para terminar, deixo-vos com dois artigos de opinião, relativos a duas posições que me parecem preponderantes nas redes sociais, e que devem ser analisadas com algum cuidado.

“Professor não me chateie, a Educação Física nem sequer conta para a média…” (blogue "ComRegras")

- "E Pá, Faz-te à Vida e Deixa-te de Queixinhas da Treta" (blogue "O Meu Quintal").

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Greve Nacional (por regiões)

Os sindicatos lá concluíram (mais uma vez) que o atual Ministério da Educação não está interessado em repor os direitos dos professores... Vai daí, convocam uma greve nacional de uma semana, mas... organizada por regiões.

Assim (aqui),

"ASPL, FENPROF, FNE, PRÓ-ORDEM, SEPLEU, SINAPE, SINDEP, SIPE, SIPPEB E SPLIU confirmam a realização de Greve Nacional de Professores e Educadores, em março. Esta Greve será concretizada por regiões, obedecendo à seguinte sequência:

- 13 de março, terça-feira: Região da Grande Lisboa (Lisboa, Santarém e Setúbal) e RA da Madeira; 
- 14 de março, quarta-feira: Região Centro (Coimbra, Viseu, Aveiro, Leiria, Guarda e Castelo Branco); 
- 15 de março, quinta-feira: Região Sul (Évora, Portalegre, Beja e Faro); 
- 16 de março, sexta-feira: Região Norte (Porto, Braga, Viana do Castelo, Vila Real e Bragança) e RA dos Açores.

A decisão de convocar esta greve fica a dever-se ao facto de o Governo continuar a adiar a resolução de problemas que foram identificados em novembro, merecendo o compromisso, quer deste, quer das organizações sindicais de docentes, no sentido da sua rápida resolução. Acontece que, passados três meses, em relação ao reposicionamento na carreira a proposta da tutela continua longe de respeitar o princípio da não discriminação dos docentes abrangidos em relação aos seus colegas que ingressaram antes do congelamento e em relação aos restantes aspetos (recuperação do tempo de serviço, horários de trabalho e aposentação) o Governo não apresentou ainda qualquer proposta de trabalho.

Assim, os objetivos definidos pelas organizações sindicais para esta Greve Nacional são os seguintes:

- Carreiras 
Recuperação de todo o tempo de serviço cumprido, mas, até agora, apagado; 
Reposicionamento na carreira no escalão em que se encontram os docentes com igual tempo de serviço.

- Horários de trabalho 
▪ Todas as atividades a desenvolver com alunos deverão ser integradas na componente letiva;
Reuniões e formação contínua obrigatória deverão integrar, exclusivamente, a componente de estabelecimento; 
Reduções letivas deverão reverter para a componente de trabalho individual.

- Aposentação 
Regime específico de aposentação a aplicar a partir do próximo ano.

A partir de hoje, 15 de fevereiro, as organizações sindicais de docentes empenhar-se-ão na mobilização dos professores e educadores para esta greve, que fica, desde já, convocada. A entrega do necessário Pré-Aviso ao Governo será concretizada no final do mês de fevereiro, num momento em que já se conhecerá nova proposta ministerial para o reposicionamento dos professores, em que se terá realizado nova reunião sobre a recuperação do tempo de serviço, na qual, necessariamente, o Governo terá de apresentar a sua proposta.

Por último, aguarda-se que, ainda durante o mês de fevereiro, sejam agendadas as primeiras reuniões negociais sobre horários de trabalho e aposentação, nas quais o Governo deverá apresentar propostas que permitam, não apenas, atenuar o tremendo desgaste que é sentido pelos docentes, como, também, iniciar o rejuvenescimento do corpo docente das escolas.

As organizações sindicais

ASPL – FENPROF – FNE - PRÓ-ORDEM – SEPLEU SINAPE – SINDEP – SIPE – SIPPEB - SPLIU"

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Quem manda aqui?

Há dias recomendaram-me a página Txitxa's life da qual, confesso, me tornei fã num ápice.




Regulamento de Exames



E aqui fica o link (carregando na imagem) para o Regulamento das Provas de Avaliação Externa e das Provas de Equivalência à Frequência dos Ensinos Básico e Secundário, vulgarmente denominado por Regulamento de Exames.

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Em português...

...com um tema musical que muitos classificam de lamechas (e pouco adequado para o gosto musical de um transmontano... Eh eh eh), mas que eu realmente aprecio.

Música dos "Calema" (Tema: Casa de Madeira)

A defesa óbvia


Comentário: Se defendesse o inverso é que seria surpreendente... E seria surpreendente porque o principal partido que sustenta o Governo, considera que com a concretização de um novo concurso interno (podem ler mais sobre este tema, clicando aqui), o problema será "resolvido" ou pelo menos apaziguado. Quem percebe um pouco de concursos, e da forma como eles são organizados, saberá que este concurso que se aproxima deverá ser, no mínimo, repleto de vazio. Não vai corrigir nada... 

Finalmente...


Comentário: De acordo com a notícia em causa, "cerca de duzentos docentes do ensino artístico especializado de música e de dança e professores de Língua Gestual Portuguesa vão entrar para os quadros este ano, segundo dois diplomas aprovados hoje em Conselho de Ministros". Assim, estes professores "terão agora um regime jurídico próprio e adaptado que lhes permitirá vincular ao fim de três contratos e duas renovações dos contratos de trabalho, ou seja, passarão a vincular como todos os mais docentes". Uma boa notícia, se bem que tardia.