segunda-feira, 1 de Setembro de 2014

Para relaxar...

Música de "Yandel" - (Tema: Déjate Amar)

E as listas?

Bem sei que passará pela cabeça de alguns que este atraso na publicitação das listas poderá estar relacionado com a "aceitação" do acordo de rescisão por parte dos colegas que o solicitaram... E com a consequente libertação desses horários para serem considerados nas colocações que se avizinham.

Bem... Se olharmos para um calendário, os 8 dias úteis que estes colegas têm para aceitar o acordo terminariam no dia 10 (4.ª feira) de setembro, ou seja, um dia antes do primeiro possível para iniciar o novo ano letivo. Deste modo, embora possa constituir uma teoria a considerar, não acredito (leiam também o que escrevi aqui) que o MEC disponibilize já esses horários, pois certamente considera mais vantajoso (economicamente) atribuir esses horários a colegas contratados (eventualmente numa 2.ª reserva de recrutamento) que ao contrário dos colegas dos quadros, ganham "à hora". Para além disso, se realmente os quisessem considerar, então é que tudo estaria atrasado, e mais do que isso, complicado de camuflar sob o suposto ambiente de normalidade.

Obviamente que posso estar errado e as listas de colocação "verem a luz do dia virtual" na próxima semana, no entanto, fica a questão:

Poderemos então ter listas de colocação ainda esta semana?

Perfeitamente... 

E para a nossa sanidade mental, quanto mais cedo melhor. No entanto, pensem nisto: quanto mais tarde forem publicitadas as listas, maior é a probabilidade do número de horários considerados ser maior, e como tal, reduzir o número de ultrapassagens na graduação. 

Quando o tema é listas, é preferível aguardar. Mesmo que a muito custo.

E para quê?

Professores do quadro chamados a esperar pelas colocações dentro das escolas 

Comentário: Se para alguns colegas esta deslocação a uma escola que não será (na maioria dos casos) à de colocação, apenas se resume a um incómodo de menos de uma hora de viagem, conheço situações que implicaram bem mais do que isso. Bem sei que existem normativos legais que definem estas situações, no entanto, acredito que com um pouco de "boa vontade" de algumas direções se poderia ter resolvido este problema de outra forma.

O problema é quando aquilo que se pretende "autónomo" insiste em questionar o "centro" para algo que até pode decidir... Sem grandes alaridos... Sem gerar problemas... Mas que constituiria uma forma de atenuar a fúria teatral do MEC que quer a toda força, simular normalidade.

Tudo igual...

Professores passam manhã nos centros de emprego 

Comentário: Este é um daqueles cenários que se repetem no tempo e atravessam governos... É o remate final das férias docentes: listas tardias e filas de docentes nos centros de emprego. 

Curiosamente, não me consigo habituar a esta situação nem consigo acreditar que a "máquina" ministerial não consiga concretizar colocações sem "entrar" em setembro.

Não dão ponto sem nó...

Total de rescisões acordadas com professores é de 1.889 

Comentário: Revelado o número máximo de rescisões possíveis, os docentes agora notificados da autorização de celebração de um acordo de cessação do contrato de trabalho possuem 8 dias úteis para aceitar o acordo em causa.

Muitos afirmam que estas decisões vieram tarde e que tudo deveria ter sido acautelado antes. Pois bem... Depois de conversar com uma colega da minha (ainda) escola, cheguei à conclusão de que afinal este atraso será de todo vantajoso para o MEC, na medida em que os horários (eventualmente) "libertados" (após aceitação do acordo) por estes colegas serão (para todos os efeitos) incompletos... E se aparecerem mais tarde, melhor... É que as probabilidades de irem para os colegas contratados será maior, e como sabemos os colegas contratados recebem de acordo com as horas (ao contrário dos colegas dos quadros).

sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

Tentem descansar neste fim de semana...

Algo me diz que iremos ter uma semana repleta de ansiedade, confusão e algum tempo em viagem.

Música dos "Staind" - (Tema: Epiphany)

"Será que a escola já validou a candidatura?"

Esta tem sido a questão do dia... E constitui até certo ponto uma consequência natural da incompetência ministerial, tal é o atraso dos procedimentos e o stress a que escolas e professores estão a ser submetidos.

Deste modo, e se por um mero acaso do "destino" derem por vocês a (tentar) verificar se a candidatura foi validada e vos aparecer que apenas se encontra "submetida", não fiquem preocupados.

Julgo que terão de aguardar pelo aparecimento do verbete, para confirmarem a situação de validação da escola... E nesta altura, ainda ninguém tem acesso ao verbete. Não me perguntem quando tal ocorrerá, mas como o prazo de validação por parte das escolas termina hoje às 23:59h será algo prematuro andar a aceder à plataforma SIGRHE.

Apresentações de professores a 1 de setembro

E de acordo com aquilo que já era previsível, pela leitura desta nota informativa (que transcrevo abaixo) é fácil concluir que não teremos listas de colocação no dia 1 de setembro:

Nota: negritos e sublinhados de minha autoria.

"Informam-se todos os docentes candidatos ao concurso de mobilidade interna que se devem apresentar no 1.º dia útil do mês de setembro, enquanto aguardam a publicitação das respetivas listas definitivas, nos seguintes termos:

a) Candidatos opositores à 1.ª prioridade, nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 28.º Decreto-Lei n.º 132/2012, de 27 de junho na redação conferida pelo Decreto-Lei n.º 83-A/2014, de 23 de maio, retificado pela Declaração de Retificação n.º 36/2014, de 22 de julho – devem apresentar-se no último agrupamento de escolas/escola não agrupada onde exerceram funções;

b) Candidatos opositores à 2.ª prioridade (Docentes dos Quadros do Continente), nos termos da alínea b) do n.º 1 do artigo 28.º Decreto-Lei n.º 132/2012, de 27 de junho na redação conferida pelo Decreto-Lei n.º 83- A/2014, de 23 de maio, retificado pela Declaração de Retificação n.º 36/2014, de 22 de julho - devem apresentar-se no último agrupamento de escolas/escola não agrupada onde exerceram funções;

c) Candidatos opositores à 2.ª prioridade (Docentes dos quadros das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira), nos termos da alínea b) do n.º 1 do artigo 28.º Decreto-Lei n.º 132/2012, de 27 de junho na redação conferida pelo Decreto-Lei n.º 83-A/2014, de 23 de maio, retificado pela Declaração de Retificação n.º 36/2014, de 22 de julho - devem apresentar-se no agrupamento de escolas/escola não agrupada de validação da candidatura ao concurso da mobilidade interna;

d) Candidatos opositores à 3.ª prioridade, nos termos do n.º 3 do artigo 7.º Decreto-Lei n.º 60/2014, de 22 de abril - devem apresentar-se no agrupamento de escolas/escola não agrupada de validação da candidatura ao concurso da mobilidade interna".

Para nossa infelicidade vamos apresentar-nos numa escola que muito provavelmente não será aquela onde ficaremos colocados, e como tal, todo este procedimento irá constituir um despesa acrescida para os professores e uma confusão perfeitamente evitável.

quinta-feira, 28 de Agosto de 2014

No entanto, está tudo bem...

As escolas ainda não sabem quando chegam os professores 

Comentário: O artigo retrata bem aquilo que se está a passar nos concursos dos professores... Procedimentos e etapas concursais anunciadas à ultima da hora, com meras horas para serem concretizadas são apenas uma face do problema. A outra face estará relacionada com a logística inerente ao da colocação de professores propriamente dita, onde teremos docentes a apresentarem-se numa determinada escola para passados uns dias "arrumarem as trouxas" e deslocarem-se centenas de quilómetros, e outros (os menos afortunados) terão de se apresentar nos centros de emprego (com tudo o que isso implica) sem saberem se vão poder trabalhar ou não.

O MEC obviamente não aponta datas... Eventualmente porque não as conhece ou por ainda estar a ver onde pode "cortar" mais em questões de contratação.

Pode ter acontecido em outros anos (tão mal, só me lembro de uma outra vez), mas este ano aposto que vão surgir mais problemas resultantes de tanta concentração de procedimentos e etapas. 

Validação da Candidatura ao Concurso de Mobilidade Interna começou hoje

Após um dia de hiato, eis que o MEC abriu às escolas e agrupamentos de escolas, a aplicação SIGRHE onde poderão validar as candidaturas dos professores que concorreram à mobilidade interna. 

O prazo limite? Bem... Amanhã. Até às 23:59h!

E depois questionam os colegas: "Então poderemos ter listas até 31 de agosto?"

Não me parece... mesmo. 

Se contarmos que 30 e 31 de agosto são fim de semana, e que para os lados do MEC não se trabalha nestes dias (ao contrário de muitas direções de escolas e agrupamentos), acredito que só teremos listas de colocação de contratação inicial e mobilidade interna a partir da próxima semana.


Finalmente novidades relevantes...

No sítio da DGAE encontram-se as seguintes novidades:


Se clicarem aqui poderão fazer o download do manual de aperfeiçoamento da candidatura ao Concurso do ensino artístico e se clicarem acolá poderão aceder ao manual relativo à desistência total ou parcial de preferências da CI/RR.

No que concerne à desistência total ou parcial de preferências da CI/RR, ficam algumas informações úteis:

a) Não são admitidas quaisquer alterações às preferências inicialmente manifestadas;
b) A desistência parcial ou total não sujeita o/a candidato/a à aplicação de qualquer penalidade;
c) Poderão desistir da candidatura (Contratação Inicial e Reserva de Recrutamento) parcial ou totalmente;
d) Na desistência de preferências, não poderão desistir de preferência(s) que implique(m) o não cumprimento dos limites mínimos exigidos: por Agrupamento de Escolas / Escola não Agrupada e Concelho.

De leitura recomendada...

Mais informações sobre as Bolsas de Contratação de Escola (BCE) 

Comentário: O "Prof. Infinito" fez uma análise à situação das Bolsas de Contratação de Escola, que me parece merecer leitura e reflexão atenta, até porque à falta de esclarecimentos adicionais por parte da DGAE irá gerar discrepâncias entre escolas/agrupamentos, e constituirá uma forte dor de cabeça para quem se sujeitar a esta tipologia de concurso "local".