sábado, 28 de maio de 2016

You've got mail, Zezito... :D

A propósito da missiva que alegadamente o Zezito, personagem mais fictícia que real (!?), terá enviado ao Sr. Presidente da República, a saber:



... a nossa sempre eloquente colega Nídia Valente elaborou a seguinte resposta: 

"Querido Zezito

Em primeiro lugar, vou explicar-te porque é que sou eu a responder-te e não o sr. Presidente, como gostarias: é que ele hoje está tão ocupado a ver como é que vai desmentir aquilo que os representantes da escola privada disseram que ele disse, mas não disse, que não teve tempo de ler a tua carta. 
Em segundo lugar, deixa-me tranquilizar esse teu sofrimento sem sentido. Se o teu problema é o medo de deixares de participar em concursos de matemática, fica descansado. Na escola pública tens sempre oportunidade de brilhar no Canguru Matemático, no Jogo do 24, etc. E, se te aplicares, até podes lutar pelo primeiro lugar, que normalmente é conquistado pelos meninos da escola pública. E vou mais longe, Zezito: se aprenderes a colocar as vírgulas, a usar corretamente alguns advérbios, a demarcar parágrafos, etc, até podes participar em concursos de escrita/leitura,como por exemplo o Concurso Nacional de Leitura, que normalmente também entrega os primeiros lugares aos alunos da escola pública. Tens é que melhorar a tua escrita, prometes? Quanto a isso, não te preocupes: na escola pública há muitos apoios que ajudam alunos como tu na superação das suas dificuldades. 
Não imaginas a quantidade de coisas boas que te esperam, e que vão fazer de ti uma criança feliz. Dou-te um exemplo: na minha escola (pública) não temos piscina, mas temos uma horta pedagógica onde todos os meninos e meninas aprendem muitas coisas, a brincar; temos clube de fotografia, clube europeu, clube de teatro, clube de música, clube de artes... Só não temos "irmãs", mas não nos parece que seja o que mais falta nos faz. E temos outra coisa muito importante na nossa escola (pública): sucesso educativo REAL!
Por fim, perguntas tu ao Sr. Presidente porque é que os teus pais não podem escolher a escola onde tu queres ficar. Não é bem assim, Zezito. Os teus pais podem escolher qualquer escola, meu querido, não podem é exigir que seja eu a pagá-la, percebes? Vá, vai lá explicar isto aos teus pais... 
Neste momento tenho quase a certeza que até já te apetece vir para a escola pública, não é? Sem espernear. Mas mesmo que venhas com algumas nódoas negras, não te preocupes: nós temos gabinete médico, teremos muito gosto em tratar as tuas mazelas. 

Até breve, com carinho. "



Brilhante, Nídia! Grata pela cedência. <3

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Bom fim de semana...

Música dos "Coldplay" - (Tema: Up&Up)

Pareceres para todos os gostos...


Comentário: Bem... O seguinte excerto da notícia resume, no essencial, mais um capítulo desta novela de fim previsível:

Nota: negritos e sublinhados de minha autoria.

"O Ministério da Educação anunciou esta sexta-feira ter recebido um parecer do Conselho Consultivo da Procuradoria-Geral da República (PGR) que lhe dá razão na redução do financiamento a colégios privados com contrato de associação. Horas antes, o movimento Defesa da Escola Ponto divulgava, a propósito da sua audiência com o Presidente da República, o parecer do constitucionalista Vieira de Andrade que coloca em causa a legalidade do despacho do Governo sobre essa matéria."

No domingo lá teremos a manifestação "amarela", e durante a próxima semana mais alguns desenvolvimentos se seguirão neste combate político. E sim, todos nós temos uma opinião clara sobre o financiamento de redundâncias, mas não se deixem enganar... estamos perante mais um desentendimento da família política portuguesa! 

Expectável...


Comentário: Quem costuma ler o que por aqui se vai escrevendo, sabe que não tenho qualquer convicção na efetiva implementação dos cortes no financiamento das escolas privadas com contratos de associação. Até aqui registaram-se algumas movimentações políticas no sentido de pressionar o Governo a recuar nestes cortes, mas começam agora a surgir pressões de atores políticos de relevo no sentido de fasear, ou melhor, adiar estes cortes, numa tentativa de manutenção dos interesses "privados" (e sim, com todo o duplo sentido que lhe possam dar), por mais redundantes que possam ser.

E para o bem e para o mal, todos nós sabemos o que significa em linguagem política fasear ou adiar cortes que são do interesse "privado"...

Acho bem...


Comentário: Acho muito bem que não se permita a repetição do que ocorreu este ano, em que foram colocados os docentes de mobilidade por doença e só posteriormente os de mobilidade interna. Quanto ao resto, voltou tudo ao mesmo... Isto é, mantém-se uma clara abertura à possibilidade de abusos.

Apoiar o Ministro? Claro que sim, mas com contenção...

Reconheço que será tentador começar a demonstrar alguma empatia com a atual equipa do Ministério da Educação, no entanto, e independentemente dos eventuais cortes que venham a ser concretizados ao nível das escolas privadas com contratos de associação, não me parece que temos motivos de grande contentamento. 

E porquê? 

Simples. Se repararem a estratégia ministerial do momento segue uma linha de “reunir agrado com a desgraça alheia”. E não obstante de podermos (e escrevo isto, porque não acredito que estes cortes sejam realmente concretizados) ter um acréscimo de alunos e eventualmente um aumento de horários disponíveis, pouco ou nada continua a ser feito para melhorar a saúde da educação na escola pública. No essencial, temos mais um ciclo de experiências educativas e de gestão, que não repõem aquilo que seria essencial nas escolas: estabilidade educativa, tempo de qualidade para ensinar e reposição da autoridade docente.

No final, e mais do que argumentos a favor e contra a continuidade do financiamento das "redundâncias", o que me causa realmente confusão é o despudor em utilizar e manipular alunos em iniciativas de defesa das escolas privadas com contrato de associação. O desespero não justifica tudo e os (nossos) alunos deveriam ser protegidos destas situações... 

Sinceridade, acima de tudo


Tenho sérias dúvidas que seja uma boa ideia...


Comentário: Não acredito que tal iniciativa tenha grandes resultados, até porque temos uma boa fatia de colegas que não atribui grande relevância a esta situação dos cortes de financiamento das escolas privadas com contrato de associação... Mas para além disso, o desespero de quem trabalha nestas escolas é tão grande que não auguro nada de positivo para a nossa classe, se tivermos duas manifestações (uma pró e outra contra) em simultâneo. Então se tivermos o Mário Nogueira a aparecer por lá, estou certo que teremos bom material para o canal televisivo do Correio da Manhã.

quarta-feira, 25 de maio de 2016