sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

Bom dia...

Música dos "OneRepublic" - (Tema: I Lived)

quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Um desconforto planeado...

Ministério assume “desconforto” com “erro lamentável” na colocação de professores 

Comentário: Por mais voltas que o MEC tente dar ao "texto" mais tenho a certeza que estas asneiras na Bolsa de Contratação de Escola servem o propósito da descentralização das colocações num futuro bem próximo. Um mês de atraso foi suficiente para que emergissem os defensores de colocações de professores similares àquelas que se registam em organizações dependentes de partidos políticos ou cuja influência dos mesmos é suficientemente forte para garantir emprego.

Não sei se algum dia passaremos à fase de "contratação por cor ou cunha" (sim... também pode ser por competência, mas depois é tudo metido no mesmo saco), mas por aquilo que se pode constatar nas contratações de escola, teremos todos os ingredientes para avolumar injustiças.

Da constatação...

Mais uma de muitas agressões

Professora agredida numa escola onde dezenas de pais acorreram devido a falso caso de ébola 

Comentário: Quando me deparo com um caso de agressão a um colega de profissão, e tenho oportunidade de ler qual a situação que conduziu a tal infeliz desfecho, não consigo deixar de pensar que algo similar me poderia ter acontecido, até porque algumas das regras que os colegas agredidos tentam implementar, são as mesmas que eu tento implementar.

Relativamente à situação da não apresentação de queixa por parte da docente... Bem... Embora compreenda o que possa estar na base de tal decisão, não me parece nada boa ideia. Até porque, à partida estaremos a falar de um crime semi-público, e sem queixa, nada feito. Bem sei que o medo é um bom ingrediente para a sobrevivência, mas existem limites. E um dos limites será o da nossa dignidade enquanto pessoais, mas acima de tudo enquanto docentes.

Ainda faltaria comentar as declarações do representante dos encarregados de educação, mas ultimamente o meu tempo é demasiado escasso para o perder com idiotices menores.

De leitura recomendada

Os concursos de professores: um ponto de ordem 

Comentário: O Paulo Guinote produziu um artigo de opinião, cuja leitura recomendo nomeadamente àqueles (que presumo sejam cada vez mais) que julgam que os erros registados nas colocações de professores (nomeadamente ao nível da Bolsa de Contratação de Escola - BCE) resultam da centralização.

É bom que se comecem a desmistificar os erros nas colocações da BCE, antes que a mentira ganhe peso como argumento.

O Presidente da República, o Primeiro-Ministro e vários outros "fazedores" de opinião bem se têm esforçado para dotar as Câmaras Municipais de ainda maior poder partidário, passando a controlar também as contratações de professores... Espero que tal não venha a ocorrer, pois é a minha sincera opinião que nem mesmo uma boa graduação profissional irá salvar professores sem "filiação" ou "cunha".

Novidades para os lados da DGAE

E desta vez, são relativas à mobilidade por doença, um processo que de acordo com o regulamentado, já deveria estar terminado. Cliquem na imagem, para aceder à plataforma SIGRHE.


terça-feira, 21 de Outubro de 2014

Recordações...

Música de "The Cranberries" - (Tema: Dreams)

E continua a campanha da descentralização...

Primeiro-ministro diz que colocação de professores deve ser descentralizada 

Comentário: É indesmentível a utilização da polémica em torno da Bolsa de Contratação de Escola enquanto argumento da descentralização das colocações dos professores. O número de vozes a favor de um processo de contratação de professores permeável a influências políticas (e pessoais), e sob a alçada das Câmaras Municipais (diretamente ou indiretamente através dos Conselhos Gerais das escolas) tem vindo a aumentar de número... 

E se não estão preocupados, o melhor mesmo será começarem a conversar com colegas que alguma vez na sua vida profissional estiveram sujeitos a contratações de escola. Irão verificar que muitos dos concursos são abertos com critérios "à medida" do candidato pretendido. E sim... Poderão argumentar com coincidências, com continuidades, com conhecimentos profundos de um determinado ambiente, mas acabamos sempre por constatar injustiças.