sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

Para os mais distraídos...

Professores que passaram na prova não têm de fazer mais este ano 

Comentário: É um dos esclarecimentos que consta das "Perguntas frequentes" (aqui) disponíveis no sítio virtual da Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades (PACC), mas que por ser uma dúvida mais ou menos recorrente acaba por ter destaque nos meios de comunicação social.

Ainda bem

Contratação de docentes não é abrangida pelo processo de transferência de competências 

Comentário: Fico feliz que tal "compromisso" tenha sido "firmado" com o MEC, no entanto, não consigo compreender o recuo (aparentemente) fácil na dispensa do prémio (os tais 13 600 euros por docente) para as Câmaras que conseguissem trabalhar com um número de docentes inferior àquele que seria expectável.

Por aquilo que percebi das negociações escondidas entre o MEC e algumas Câmaras Municipais, aparentemente tal "incentivo" faria parte da minuta de transferência de competências, mas (e perdoem-me que tenha algumas dificuldades em acreditar) a generalidade das autarquias terá recusado tal "responsabilidade". E se não acredito é porque a capacidade de contratação pelo poder autárquico permite fomentar votos, dar emprego a amigos ou familiares e manter o poder partidário. E dificilmente o poder político dispensa reforços...

Veremos o que acontece no futuro.

Útil... Muito útil

Aulas de apoio e reuniões: componente letiva ou não letiva? 

Comentário: Recomendo a leitura atenta do artigo da FENPROF cujo link coloquei acima, para compreenderem que anos e anos de permissividade da classe no que a reuniões (e outras coisas que tais) diz respeito acabam por se traduzir em consequências ao nível de carga laboral, que muitos consideram normal e outros nem sabem que estão a ser alvo de "abuso".

E se burocracia já é muita, a desatenção e a falta de contabilização das horas de trabalho individual  e do trabalho na escola, poderão transformar o mau em pior. Fica então a leitura recomendada.

quinta-feira, 20 de Novembro de 2014

Da brutalidade ministerial...

PACC 2014/2015

A insistência de Crato na Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades (PACC) só é comparável à teimosia (do próprio e de Passos Coelho) que o vai mantendo ao leme de um Ministério para o qual já demonstrou não ter a competências que alunos, professores e encarregados de educação gostariam.

Feita a crítica, vamos aos links úteis:

Define o calendário de realização da prova de avaliação de conhecimentos e capacidades, as condições e os valores a pagar pela inscrição, consulta e reapreciação da mesma, referentes ao ano escolar 2014-2015

Publicita o procedimento de inscrição para a realização da componente comum da prova de avaliação de conhecimentos e capacidades relativa ao ano escolar 2014-2015


Fica também a informação de que o prazo de inscrição para a realização da (mal)dita prova inicia-se no dia 24 de novembro e decorre por um período de 5 (cinco) dias úteis, até às 18:00 horas, de Portugal continental, do dia 28 de novembro.

Curioso ainda que no aviso não conste qualquer anexo com a lista de locais onde a prova se irá realizar, ficando por saber se o rumor da sua concretização em instituições de ensino superior sempre se irá concretizar.


Permutas

E só a 20 de novembro é que o MEC se digna a disponibilizar a aplicação relativas às permutas, e com um prazo bem definido: até às 18h de 3 de dezembro.

Se não se recordam, fica a lista de colegas que pode permutar:

a) docentes de carreira colocados na 1ª prioridade do concurso de mobilidade interna; 
b) docentes colocados na 2ª prioridade do concurso de mobilidade interna; 
c) docentes colocados na 3ª prioridade do concurso de mobilidade interna; 
d) docentes contratados colocados no concurso de contratação inicial; 
e) docentes contratados que renovaram colocação de contratação inicial.

Obviamente que já se passaram alguns meses de vida organizada no local de colocação, no entanto, creio que mais vale tarde que nunca.

As permutas são concretizadas na plataforma SIGRHE, e de acordo com esta nota informativa.

quinta-feira, 13 de Novembro de 2014

Brevemente...

...numa escola junto de si.

Leitura recomendada...

Quanto vale um professor? 

Comentário: E recomendo especialmente a quem não é professor, mas gosta de opinar e julgar aquilo que não sabe, não vê, e pior do que isso... insiste em não querer ver. Recomendaria igualmente aos políticos portugueses (com ou sem assento no poleiro do poder), mas já nem acho que valha a pena, uma vez que há já alguns anos que a nossa classe é "saco de pancada" e aparentemente isso dá votos.